24/MAI

5 Dicas que vão catapultar a performance ambiental na sua indústria

5 Dicas que vão catapultar a performance ambiental na sua indústria

Atingir resultados diferenciados na gestão ambiental em uma indústria pode parecer uma ciência de foguetes. Múltiplas legislações, um ambiente muito competitivo, recursos financeiros escassos, lideranças que possuem dificuldade de entender os mecanismos e as regras que devem ser cumpridas.

Tudo bastante complexo e a sensação que fica é que sempre podemos ter deixado algo importante para trás e, que em algum momento vai fazer diferença.

Estas dicas podem fazer você mudar o patamar da gestão ambiental de sua empresa e lhe dar mais tranquilidade.



1. Tenha um mapeamento consistente de suas obrigações legais

Esta é a primeira e a mais importante dica!

Faça um inventário profundo de todas as atividades da empresa e as legislações e obrigações que devem ser cumpridas. Olhe em todos os níveis, Federais, Estaduais e Municipais.

Olhe a totalidade das operações da indústria e não somente aos processos que possuem maior impacto. Por diversas vezes empresas foram autuadas em pequenos descuidos legais. Digo que este mapeamento é como uma corrente, se um elo deixar de existir a corrente perde a função.

Você pode contratar a execução deste inventário. Um consultor externo realizou esta tarefa muitas vezes e vai reduzir o tempo para fazer, diminuindo o custo que você teria para realizar e também a assertividade do levantamento. Recomendo que utilize sim, de inteligência externa, mas aprenda junto! Você precisará manter atualizada esta base e o domínio da legislação tornarão mais ricas as discussões com uma fiscalização ou com o time jurídico de sua empresa (surpreenda-os!).

Por falar em jurídico, você deverá estar muito próximo deles para interpretar a aplicação das legislações e também para levantar outras obrigações legais que devem ser cumpridas pela empresa, como Acordos e Termos de Conduta (TAC) celebrados.

Esta é uma falha que acontece muitas vezes. Não utilizar os recursos jurídicos da empresa para auxiliar nesta análise.

Não esqueça das condicionantes das licenças (aí entram também os níveis de emissão permitidos, os consumos de água e de lançamento), além das recomendações feitas pelos Órgãos Licenciadores em relatórios de inspeção.

Parece uma coisa básica mas de forma surpreendente, muitas empresas não possuem este inventário.


2. Crie uma rotina de checagem das obrigações

Pouco servirá um inventário impecável de obrigações se você não sabe como está na foto.

A prática industrial usa e abusa dos check lists. E é com certeza a ferramenta mais robusta para sinalizar desvios. Passe para um formato que permita executar com segurança esta atividade. Muitas empresas utilizam-se de planilhas eletrônicas, aplicativos ou papel. Qualquer método é valido, desde que exista rastreabilidade e segurança da informação.

Com o uso de aplicativos móveis, é possível realizar esta atividade de uma forma muito rápida e segura. Sempre que possível oriente seu modelo para estas soluções. Os custos de implantação e operação são plenamente compensados, com certeza.

Uma checagem desta natureza geralmente é compartilhada com outras especialidades, para garantir a segurança do cumprimento da obrigação. Algumas obrigações são “preto no branco”. Outras, possuem muitas nuances, que devem ser analisadas sob ótica mais profunda.

Algo que não pode deixar de existir em seu check são as evidências de cumprimento. Estas evidências podem ser fotografias, laudos de emissão, documentos. Se você utilizar um aplicativo, provavelmente você terá como anexar, caso contrário, terá que manter alguma estrutura para encontrar estas evidências caso precisar em uma inspeção ou auditoria.

Ah, sim... Já estava me esquecendo: rotina significa fazer de forma planejada, com cronograma. Obrigações devem ser verificadas periodicamente, com uma agenda, para cada obrigação. Imagina você ter um inventário e um check impecável e colocar tudo a perder pois não verificou o prazo de renovação de uma licença.


3. Gere índices de Conformidade

São muitas obrigações. Algumas empresas tem check lists com mais de 500 itens que devem ser acompanhados. Como dar visibilidade para a liderança da empresa do nível de exposição no cumprimento das obrigações legais?

Minha experiência indica que muitos indicadores ambientais na cabeça de um líder, que tem que cuidar de um processo industrial, de funcionários, de vendas, podem não funcionar muito bem.

Escalas de cumprimento de 0 a 100% geralmente possuem facilidade de interpretação e são bem mais inteligíveis que explicar o “nível da Demanda Bioquímica de Oxigênio no efluente tratado da planta cinco”.

Entretanto, existem fatores que são extremamente críticos para a operação de uma empresa e que devem ser cumpridos sob risco de ter as atividades embargadas. Um exemplo bastante comum são as condicionantes de operação ou mesmo a validade da licença.

Deve existir uma ponderação de importância para alguns itens críticos de modo que o não atendimento gere uma “bandeira vermelha” para a correção imediata.

Também outros fatores podem ser críticos em termos de segurança ocupacional ou ambiental e devem ter um peso maior no cálculo do índice de conformidade.

Cada empresa terá uma métrica de conformidade que dificilmente poderá ser comparada com outra. O que importa aqui é a mensuração, a criação de rotina de acompanhamento e da evolução.

Crie sua métrica agrupando fatores com similaridade ( clusters - por exemplo: efluentes, resíduos, ruídos...) isto permitirá você efetuar análises mais refinadas de onde estão as maiores lacunas e o que priorizar.


4. Crie visibilidade e dê soluções

Uma das maiores causas de falha de qualquer método de gestão ambiental é a falta de compromisso das lideranças com o tema.

Esse fenômeno acontece por desconhecimento e dificuldades de análise da informação.

Efetue uma análise de fenômeno bem feita, capriche nos gráficos e correlacione os desvios encontrados com medidas corretivas necessárias. Priorize as ações e explique a lógica desta priorização. Deixe claro os riscos associados para cada anomalia encontrada.

Solicite agenda permanente das reuniões de check de metas da liderança da indústria, e divulgue o seu índice de conformidade. Se sua análise de fenômeno foi bem realizada, será mais fácil contratar as medidas corretivas com as áreas envolvidas.


5. Acompanhe e reconheça

Manter uma rotina de acompanhamento das ações corretivas é essencial para manter um programa de performance ambiental funcionando.

Trate todos os desvios das ações corretivas.

Uma prática que alavancou resultados de forma decisiva em muitas empresas é a contratação de metas do índice de conformidade entre os executivos, assunto que rende outro artigo.

Reconheça publicamente os resultados alcançados, mas também, especialmente os esforços realizados pelo time.

Orientar para a performance ambiental é uma tarefa que exige metodologia e disciplina. Porém os resultados que podem ser capturados estão além da eliminação do risco de um auto de infração. Significa criar propósito de gerar valor sem comprometer a sustentabilidade de nosso mundo.
 
Por: Alexandre Mater
Founder Partner - Stride Inteligência Ambiental

Compartilhe Inteligência

Deixe sua opinão em nossos comentários

Veja Também: